Política de salud, derechos y ciudadanía: algunos de los desafíos las condiciones del MERCOSUR en la región de la Tríplice Frontera

Diuslene Rodrigues Fabris, Marli Renate von Borstel Roesler

Resumen


Resumen

El Sistema Único de Salud (SUS), concebido a partir de la Carta Constitucional Brasileña de 1988, busca transponer modelos segregativos de derechos y garantías fundamentales a las acciones y servicios de salud, hasta entonces vigentes en la gestión de las políticas públicas, cuyo principio está establecido a partir de la universalización del atendimiento. Al observarse la dinámica territorial brasileña, entre ellas, en la región del bloque Mercosur y en la tríplice frontera, entre los Estados nacionales Brasil, Paraguay y Argentina, se ve infelizmente, entre otras negociaciones de derechos universales que la no titularidad formal de sus habitantes los impide el acceso a las acciones y servicios de la política de salud. El artículo objetiva delimitar ejes de reflexión alrededor de desafíos de superación de procesos históricos y contemporáneos de desigualdad, marginalidad y fragmentación de la sociedad latino-americana y de Estados nacionales para administrar las diferencias sociales para que expandan la ciudadanía democrática.

Palabras-claves / Key words:
SUS, MERCOSUR, Derechos Humanos, Ciudadanía Contemporánea, SUS, MERCOSUR, Human Rights, Contemporary Citizenship.


Texto completo:

PDF

Referencias


Abranches, Sérgio Henrique (1998). Política Social e Combate à Pobreza, Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 4 ed.

Albuquerque, Durval Muniz (2006). A Invenção do Nordeste e outras artes, São Paulo, Cortez.

Astorga J., Ignácio (2004). “Contexto dos Países e da Fronteira”. Revista de Estudo da Rede de Serviços de Saúde na Região de Fronteira Argentina Brasil e Paraguai: 2001-2002, Brasília, Organização Pan-Americana de Saúde, pp. 31-46.

Balakrishnan, Gopal (org.) (2000). Um Mapa da Questão Nacional. Rio de Janeiro, Contraponto.

Bezerra, Suely de Oliveira (Mar/Abril 2007). “As (re) configurações das demandas ao serviço social no âmbito dos serviços públicos de saúde”. Revista de Administração Pública, FGV, núm. 41. pp. 187-209. Disponible en: www.scielo.br/pdf/rap/v41n2/02.pdf/ (Recuperado el 02/05/09).

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.Disponible en: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

BRASIL. Lei 8080/1990: da promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes.

BRASIL. Lei 8142/1990:da participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde.

BRASIL (2010). Ministro da Integración Nacional. Bases para uma proposta de Desenvolvimento e integração da faixa de Fronteira. Grupo de Trabalho Interfederativo de Integração Fronteiriça, Brasília. Disponible en: http://www. integracao.gov.br/c/document_library/get_file?uuid=ab3fdf20-dcf6-43e1-9e64- d6248ebd1353&groupId=10157/ (Recuperado el 03/02/14).

BRASIL (2010). Ministério da Saúde.Fórum MERCOSUR para o Trabalho em Saúde,

BRASÍLIA – DF, Série de Reuniões e Conferências.

Bourdieu, Pierre (2008). A economia das trocas linguísticas, São Paulo, Edusp.

Cardin, Eric Gustavo (2011). “Ação Racional e Cotidiano: Notas para o Estudo dos Trabalhadores da Tríplice Fronteira”. En Regina Coeli Machado Silva; Maria Elena Pires Santos. (Orgs.). Cenários em Perspectiva: diversidades na tríplice fronteira. Cascavel: EDUNIOESTE, pp. 121-140.

Cohn, Amélia (2003). “Estado e sociedade e as reconfigurações do direito à saúde”. Revista Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 8, núm. 1. Disponible en: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-8123 200300010000 2&lng= pt&nrm=iso/ (Recuperado el 09/05/12).

Coimbra, Marcos Antônio (1998). “Abordagens Teóricas ao Estudo das Políticas Sociais”. En Sérgio Henrique Abranches et al. Política Social e Combate à pobreza, Rio de Janeiro, Jorge Zahar, pp. 65-104, 4 ed.

Comisión Económica para América Latina y Caribe (2006). Protección social: de cara al futuro: acceso, financiamiento y solidaridad,Santiago, CEPAL.

Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (abril 2009). Saúde no Brasil: algumas questões sobre o Sistema Único de Saúde (SUS). En Sérgio Francisco Piola e Solon Magalhães Vianna (Orgs.) et al. Documento elaborado no âmbito do Convênio CEPAL/IPEA, Escritório no Brasil.

Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe(dez. 2013). Panorama Social da América Latina, ONU/CEPAL, Documento Informativo.

Dain, Sulamis (2004). “Subsídios para a Formulação de um Sistema de Integração dos Modelos de prestação de Serviços de Saúde no MERCOSUL e nas Regiões de Fronteira: Harmonização e Transfronteirização dos Sistemas de Saúde”. En Edmundo Gallo; Lais Costa (org.). Sistema Integrado de Saúde do MERCOSUL: SIS — MERCOSUL: uma agenda para integração, Brasília: Organização Pan-Americana da Salud, pp. 67-96.

Dal Prá, K. R.; Mendes, J. M. R.; Mioto, R. C. T. (2007). “O desafio da Integração social no MERCOSUR: uma discussão sobre a cidadania e o direito à saúde”. Caderno Saúde Pública, Rio de Janeiro, pp. 164-173.

Ferrari, Carlos Alberto (junho 2007). “Brasiguaios na fronteira: luta pela terra, violência e precarização do trabalho no campo e na cidade”. Revista Pegada, v. 8, núm. 1, pp. 115-129. Disponible en: http://revista.fct.unesp.br/index.php/pegada/article/view/1646/1574 / (Recuperado el 30/01/13).

Fier, Florisvaldo (2004). “Saúde no MERCOSUL: o Desafio do Novo”. En Edmundo Gallo; Lais Costa (org.). Sistema Integrado de Saúde do MERCOSUL: SIS — MERCOSUL: uma agenda para integração, Brasília, Organização Pan- Americana da Saude, pp. 33-36.

Freire, Silene de Moraes (2013). “Direitos Humanos no Brasil: ilusão jurídica ou possibilidade histórica” En Valéria Forti; Cristina Maria Brites (org.) Direitos Humanos e Servicio Social: polêmicas, debates e embates, Rio de Janeiro, Editora Lumen Juris, pp. 151-170.

Gil, Antonio Carlos (2002). Como elaborar projetos de pesquisa, São Paulo: Atlas, 4ª. ed.

Gouveia, Nelson (1999). “Saúde e meio ambiente nas cidades: os desafios da saúde ambiental”. Saúde e Sociedade, núm. 8(1), pp. 49-61. Disponible en: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v8n1/05.pdf. (Recuperado el 18/09/14.

Harvey, David (2005). A produção capitalista do espaço, São Paulo, Annablume.

Holston, James (2013). Cidadanía insurgente: disjunções da democracia e da modernidade no Brasil, Tradução de Claudio Carina, São Paulo, Companhia

das Letras, 1ª. ed.

Itaipu Binacional. Saúde na Fronteira. Disponible en: https://www.Itaipú.gov.br/ responsabilidade/saude-na-frontera/ (Recuperado el 03/02/14).

Leite, Dante Moreira (2007). O Caráter Nacional Brasileiro: história de uma ideologia. São Paulo, UNESP.

Marques, Elídio Alexandre Borges (2013). “Direitos humanos: para um esboço de uma rota de colisão com a ordem da barbarie”. En Valéria Forti; Cristina Maria Brites (org.). Direitos Humanos e Serviço Social: polêmicas, debates e embates, Rio de Janeiro, Editora Lumen Juris, pp. 195-209.

Martins, José de Souza (2009). Fronteira: a degradação do outro nos confins do humano, São Paulo, Hucitec, ea. ed.

Medici, André Cezar (1996). “A saúde nos países do MERCOSUL”. En Neide Lopes Petarra (coord.). Emigração e imigração internacionais no Brasil Contemporâneo,Campinas, FNUAP; São Paulo, Oficina Editorial, pp. 217-225.

Netto, José Paulo (2000). “FHC e a política social: um desastre para as massas trabalhadoras”. En Ivo Lesbaupin (Org.). O desmonte da Nação: balanço do governo FHC. 3. ed. Petrópolis, Vozes, p. 75-90, 3ª. ed.

Nogueira, V. M. R.; Silva, M. G; Simionatto, I. (2006) “Fronteira MERCOSUL- processo de incluso/exclusão no Sistema Único de Saúde brasileira”. Disponible en http://www.ssrevista.uel.br / (Recuperado el 02/05/12).

Nogueira, V. M. R.; Silva, M. G. (jul./dez. 2008). “Brasiguaios: a dupla desigualdade na região da fronteira, Pleiade, v.2, n 2, p.43-58. Foz do Iguaçu. Disponible em http://www.uniamerica.br/site/pdf/geral/64e998da58.pdf / (Recuperado el 02/05/12).

Organização das Nações Unidas(2014). A ONU e os Direitos Humanos. Disponible en: http://www.onu.org.br/a-onu-em-acao/a-onu-e-os-direitos- humanos / (Recuperado el 03/02/14).

Organização das Nações Unidas. Agenda 21. Capítulo 6 - Proteção e promoção das condições da saúde humana. Disponible en: http://www.mma.gov.br/ responsabilidade-socioambiental/agenda-21/agenda-21-global/item/608.

Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu (2012). Saúde na Tríplice Fronteira: visão geral sobre a situação da saúde em Foz do Iguaçu e região, Foz do Iguaçu, Secretaria Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu. Disponible en: http://www.sesa.pr.gov.br/arquivos/File/00 NDS/Apresentacoes/2013/8_reuniao/1. pdf / (Recuperado el 30/01/13).

Telles, Vera (1999). Direitos Sociais: afinal do que se trata?,Belo Horizonte, Ed. UFMG.

Sousa, Charles Toniolode (2013); Oliveira, Bruno José da Cruz. “Criminalização dos pobres no contexto da crise do capital: reflexões sobre os seus rebatimentos no Serviço Social”. En Valéria Forti; Cristina Maria Brites (org.). Direitos Humanos e Serviço Social: polêmicas, debates e embates,Rio de Janeiro, Editora Lumen Juris, pp. 113-133.

Souza, Edson Belo Clemente (2011). “Territórios Turísticos: estudo da região de fronteira do Brasil com o Paraguai”. En Regina Coeli Machado Silva; Maria Elena Pires Santos (org.). Cenários em Perspectiva: diversidades na tríplice fronteira, Cascavel: EDUNIOESTE, pp. 167-185.

Verdery, Katherine (2000). “Para onde vão a “Nação” e o “Nacionalismo?”. En Gopal Balakrishnan (org.). Um Mapa da Questão Nacional, Rio de Janeiro, Contraponto, pp. 239-247.

Vieira, Liszt (1999). “Cidadania Global e Estado Nacional”, Dados, Rio de Janeiro, v. 42, núm. 3. Disponible en: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid= S001152581999000300001&lng=pt&nrm=iso> / (Recuperado el 02/05/12).

Wagner, Carlos (2003). País bandido: crime tipo exportação, Porto Alegre, RBS Publicações.


Contador de visualizaciones:

  • Resumen : 105 vistas.
  • PDF : 8 vistas.
  • Enlaces refback

    • No hay ningún enlace refback.